Quem é
Jean-Paul Goude

INTRO

Por Renata Corrêa

Designer gráfico, ilustrador, fotógrafo, diretor de filmes, Goude quebra regras com um ponto de vista assertivo e original. Você pode até não gostar, mas seu trabalho tem uma identidade que não se aproxima da estética de ninguém.

Fotos: Reprodução

Não tem como pensar em Goude sem Grace Jones. Eles se conheceram em 1977 na revista "Esquire", onde ele era diretor de arte. Começaram a se relacionar profissional e amorosamente. E fizeram história nas artes visuais.

Artista jamaicana sem idade definida, Grace Jones desafiou (e desafia) estereótipos. Presença impactante na noite de NY e no Studio 54, também é marcante na Europa, em capas de revistas (quando elas ainda eram o principal veículo de moda) e como musa de Saint Laurent.

Com a ajuda de Goude, sua forte imagem se tornou icônica. Ele maximizou suas características tornando-a uma figura quase inatingível.

Grace foi convidada para o papel de replicante no filme de Ridley Scott, "Blade Runner". Não aceitou por causa da rivalidade de Ridley com seu namorado.

Em 1989 Goude dirigiu e coreografou a Parada comemorativa de 200 anos da Revolução Francesa. Duas horas de ópera nas ruas com um casting de 8 mil pessoas transmitido no mundo todo.

Uma das melhores campanhas de carro
da história, o lançamento do Citroën 1985 juntou Goude e Grace numa narrativa surrealista impactante - moderna e autêntica
 até hoje.

Uma grande característica do trabalho de Goude era recortar e ressignificar a fotografia, aumentando tamanhos, proporções e volumes.

Goude trabalhou para a Galeries Lafayette, em Paris, por mais de 10 anos com muita liberdade criativa.

Exposição "Image Makers" no maravilhoso museu 21-21 em Tóquio, com colaboração de David Lynch e Robert Wilson

Azzedine Alaia com Farida Khelfa, com quem Goude teve um relacionamento após o término com Grace.

Criou várias campanhas de perfume da Chanel. Uma delas com a modelo e atriz Vanessa Paradis em 1991. Conseguiu esgotar todo o estoque.

Clica aqui pra saber mais!