Puma: quem for mais rápido e mais forte ganha

27.08.2015

Da última leva da parceria entre Puma e McQueen: moderno, né?
Puma Suede, apontado por Saidi como o maior hit da marca atualmente
Yassine Saidi, o diretor senior global de sportstyle e calçado da Puma, posa pro site em frente da Cartel 011, um dos lugares em SP onde você encontra os produtos mais premium da marca
Já começaram a vazar imagens da 1ª campanha com Rihanna pra Puma

Quando foi anunciado no fim de 2014 que Rihanna agora é a embaixadora global da Puma, todo mundo ficou abismado com o movimento da marca. Primeiro porque eles optaram por uma celebridade no lugar de um estilista, e depois porque a tacada parece ser de mestre – a cantora é uma das personalidades mais influentes do mundo hoje no que diz respeito à moda jovem. E na Puma, que basicamente tem duas divisões (uma pra esporte e outra pra sportstyle), Rihanna se envolve com a 2ª. Quem é o homem por trás disso tudo? Yassine Saidi, o diretor senior global de sportstyle e calçado da marca, passou aqui pelo Brasil pra participar de um evento no Rio e a gente aproveitou a oportunidade pra conversar com ele sobre RiRi, of course, e também sobre como essa divisão mais fashionista funciona. Confira o papo que a gente teve na Cartel 011 em SP!

Confira também: uma exposição pra quem é louco por tênis!

Como é que você escolheu a Rihanna pra trabalhar na Puma?
Rihanna não foi uma escolha minha mas estou superfeliz. É uma decisão da marca como um todo. Sempre fomos atraente pras mulheres e estávamos procurando por um ângulo pra essa atração ser ainda mais explorada. A melhor forma de fazer isso é assim [com uma celebridade], e quando você olha pro entretenimento ou pro esporte, a mais poderosa do mundo é ela. Rihanna tem uma habilidade pra lançar tendências, tem uma base forte de seguidoras e faz turnê por todo o mundo. Aliás, ela vai começar uma turnê no ano que vem e um dos lugares nos quais ela vai tocar é o Brasil.

Mas como funciona? Ela manda fotos, é um painel de inspiração…?
Não. Basicamente ela foi pro escritório na Alemanha em dezembro [quando foi anunciado o cargo de embaixadora] e analisamos programas e projetos. Foi apontando: gosto disso, não gosto daquilo, podemos tentar isso… Ela também nos deu diversas ideias, que estamos produzindo e que vocês verão no mercado daqui a pouco.

Quando?
Acho que a 1ª leva é em setembro, fim de setembro pra começo de outubro. E aí nós continuamos encontrando com ela a cada dois meses. Como você pode imaginar, a agenda é bem apertada, mas ela nos dá tempo. Mandou há um mês as diretrizes criativas pro outono-inverno 2016/17, que são superfortes, e você percebe que aquilo parte dela. Ela não é só uma artista, ela é um ícone de estilo. E ela também trabalha com a Dior!

E também é o plano que ela apareça em propagandas da Puma?
Sim. Filmamos a campanha há alguns meses, ela entra no ar muito em breve – não sei a data específica pro Brasil mas vai pintar daqui a pouco. E na verdade, agora mesmo, estou com os rapazes do marketing em Los Angeles, gravando mais com ela.

Veja também: a homenagem da Converse pra Andy Warhol

E sobre as outras colaborações? Tem a da Solange Knowles
Com Solange estamos trabalhando produtos específicos, e ela é uma pessoa muito criativa. Pra mim o último ensaio fotográfico que ela fez é um dos melhores. Só que é bom deixar claro que isso não significa que estamos deixando os homens de lado, de forma alguma. Acho que é uma oportunidade de ficarmos ainda mais próximos do público feminino e também de entendê-lo, pra criarmos produtos dedicados a elas. Não é o que a gente chama de “shrink and pink” [“encolher e pintar de rosa”], tipo reduzir o tamanho do calçado, fazer alguns detalhes em rosa e pronto, é um tênis feminino. Não é isso! São produtos criados especialmente pras mulheres.

Mas existem planos pros homens? (Risos) Existem planos com celebridades masculinas também?
Talvez…

Certo, talvez. (Risos) As parcerias com marcas de moda continuam?
Sim, temos uma parceria com a Alexander McQueen e estamos muito felizes com o direcionamento de agora. Era bem fashion, e agora queremos algo que misture esporte e moda, que o design do produto fique mais esportivo. E sim, devemos aparecer com novos nomes. A estratégia agora é trabalhar com marcas novas, porque eles são tão autênticos. Existe uma geração tão forte chegando!

Quanto tempo demora pra uma parceria chegar nas prateleiras?
Entre encontrar com alguém em um clube ou um restaurante, ir pro estúdio, perguntar “por que não trabalhamos juntos?”, e fazer um brainstorm sobre o que essa parceria poderia ser… Até chegar o produto no mercado leva uns 18 meses. Isso é por causa da produção, das peças piloto. Quando você trabalha com parceria você precisa de mais de uma peça piloto. A pessoa precisa experimentar as coisas, temos que respeitar porque existe muita pressão sobre o parceiro a respeito da coleção, todo mundo espera pelo resultado, que ele seja forte. Quando faço produtos que são só da Puma, é mais rápido.

Quais são os maiores hits da Puma hoje?
É o clássico Suede. O Suede hoje é uma das nossas estrelas nos EUA e na Europa. Vemos uma grande quantidade de modelos simples, limpos e clássicos vendendo muito. É pra aí que o cliente está indo – ele estava numa onda de tecnologia visível, de aspectos técnicos de corrida aparentes no tênis, agora ele vai pra algo muito mais simples.

É ótimo pra vocês, vocês são especialistas nisso!
Sim, é o nosso core business! Estamos investindo ainda mais nesses designs simples e clássicos. E também vamos lançar outros modelos que não olham pros nossos arquivos, e sim pro futuro.

Leia também: a nova parceria entre Pharrell Williams e a Adidas Originals

Como vocês encaram as tendências?
Olhamos pra elas, claro, isso é básico, mas olhamos pra tendências de longo prazo. Quando você trabalha com um calendário que pode durar 18 meses, se olhar pra tendência hoje e reagir a ela, o produto vai sair fora da tendência quando for lançado. Mas a coisa mais importante, que todo mundo tenta fazer e no que estamos trabalhando, é lançar as tendências. Os produtos da Puma na próxima temporada são bem diferentes. É isso que aprendemos em colaborações com estilistas, essa habilidade de pensar fora da caixa e criar algo novo. É o sonho de todo mundo, mas acreditamos que podemos fazer isso. Já fizemos isso antes: tênis, estilos que foram copiados por todos. Hoje no mercado temos 3 marcas poliesportivas: Nike, Adidas e Puma. Não estou falando de Asics, New Balance e Mizuno porque essas são empresas de corrida. Nós fazemos basquete, tênis, tudo. A habilidade de colocar todos esses esportes juntos e ter uma visão de moda nisso faz com que essas 3 marcas que citei sejam únicas. E é quem for mais rápido e mais forte na criação de coisas novas que vai ganhar.

Tags:                    

Compartilhar