Categorias: Moda Tendências

Camp é o tema do baile do Met esse ano, vem entender!

06.05.2019

O baile e a exposição do Met com o título “Camp: Notes on Fashion” se aproximam (hoje, 6/05) e fica a pergunta: afinal, o que é camp, o tema principal de ambos? Existe até uma bibliografia básica – tá, meu bem? Que tal um baile com bibliografia? Com um e apenas um livro, praticamente um texto, relativamente curto e escrito em tópicos tal qual um post do Buzzfeed mas nem por isso simples e fácil de entender. “Notes on Camp” de Susan Sontag foi escrito em 1964 e tenta explicar o camp, mas a verdade é que o conceito está no campo da subjetividade assim como o belo: discute-se, mas é possível que cada um tenha o seu.

Veja também: Marc Jacobs, um estilista com sensibilidade camp!

Então a gente recomenda que você leia – porque, pode aguardar, esse tapete vermelho vai ser babado e o que vai ter de fashionista dizendo que “fulana não estava camp o bastante”… O interessante é que nesse ano os convidados têm praticamente uma chancela pro exagero e o artifício, uma autorização (ou mesmo uma imposição) expressa pra não se levar a sério, brincar com a moda e até mesmo “errar”. O errado, mais do que nunca, vai ser mais certo do que o “certo”!

Tem coisa mais camp que a noiva de Frankenstein? Esse foi o tema do desfile da Prada!

A própria “Vogue” América de Anna Wintour, a “dona do baile”, tem dado dicas tanto na sua edição de maio quanto no site de elementos que podem inspirar. Mas, claro, a gente também tem nossas referências do camp, né? Misturamos as duas coisas na galeria pra você tentar mergulhar nesse universo. Dá uma olhada e… camp-se!

Keiynan Lonsdale (de “Com Amor, Simon” e “Legends of Tomorrow”) e Ezra Miller (de “Animais Fantásticos” e “Liga da Justiça”), dois representantes do queer que gostam de usar roupas de ambos os gêneros em tapetes vermelhos. Aqui eles estão de Thom Browne
Keiynan com look Vivienne Westwood de 1995
Edie Campbell com look Moschino de 2016 ao lado de look Schiaparelli de 2018
Sabe aquele look que Cardi B usou no Grammy, dos arquivos de Thierry Mugler? Aqui em Edie Campbell – o vestido é de 1995
Liz Taylor como Cleópatra no filme de 1963
O Rei Sol em retrato de 1701 de Hyacinthe Rigaud
Carmen Miranda em uma das cenas mais camp que o cinema já produziu: a apresentação de “Lady with the Tutti Frutti Hat” em “Entre a Loura e a Morena” (1943)
Bule de 1882 atribuído a Richard William Binns – ele traz uma frase de Oscar Wilde na base
Dolly Parton, uma grande referência camp
Look da Gucci – patrocinadora do baile e da exposição. O estilista da marca Alessandro Michele é um dos anfitriões desse ano
Desfile de outono-inverno 2018/19 da Gucci com modelos carregando… cabeças!
Kathy Najimy, Bette Midler e Sarah Jessica Parker em “Abracadabra” (1993)
RuPaul foi fotografada por Annie Leibovitz, viúva de Susan Sontag, a autora de “Notas sobre Camp”, pra essa última edição da “Vogue” América
Shirley MacLaine e Gene Kelly em “A Senhora e seus Maridos” de 1964
“King Kong” de 1933, uma das referências de camp
Dandismo & Oscar Wilde – especialmente os aforismos do escritor
Cher no Oscar de 1986, com look Bob Mackie
Divine no filme “Pink Flamingos” (1972) de John Waters
Marlene Dietrich em cena em “O Anjo Azul”, de 1930
Faye Dunaway no papel de Joan Crawford em “Mamãezinha Querida” (1981)
O vestido “Versayce” de “Showgirls” (1995)
Desfile de alta-costura primavera-verão 2019 de Viktor & Rolf
A coleção da Moschino com temática Super Mario – a marca, mesmo antes de Jeremy Scott virar o estilista, já era referência camp
O infame vestido de carne da Lady Gaga no VMA de 2010

Tags:                                                                                

Compartilhar