#OiticicaFeelings: a tendência parangolé!

17.07.2016

O vestido da Martu, desfilado no Rio Moda Rio, tem uma saia que se abre toda ao caminhar. E aí, curtiu a tendência parangolé? O importante é dançar com a roupa! 😉
E neste vestido do Lino Villaventura
Já no Brasil, a tendência apareceu no SPFW de primavera-verão 2016/17 em looks como este, da Iódice
E um escuro de Feng Chen
Da mesma temporada, um colorido da Balmain
O da Astrid Andersen parece um parangolé estampado, não acha? Também da coleção masculina de primavera-verão 2017
O mesmo acontece com este da Prada, coleção masculina de primavera-verão 2017
Olha o volume que este casaco da Versace ganha quando quem o veste está andando. É da coleção masculina de primavera-verão 2017
Este é um parangolé legítimo de Oiticica, clicado em 1964 por Sergio Zalis
Olha um look de pré primavera-verão 2017 da Louis Vuitton e o parangolé que o inspirou – bacana, né? Clica pra ver mais!

Você sabia que o parangolé é tendência nas passarelas desta temporada de moda? Mas calma, não estamos falando da banda de axé não, risos! A moda se refere ao trabalho de Hélio Oiticica nos anos 60, mais especificamente à ideia do artista de criar obras em tecido que seriam “ativadas” quando vestidas – o parangolé só existe de fato quando alguém o está usando, e quem o veste é agente primordial na obra, podendo se movimentar, dançar etc. Isso mesmo que você está pensando: é um encontro lindo entre roupa e arte, de mudança e questionamento do papel do criador e do observador, de interação com a obra… Supervisionário!

Veja mais uma tendência: calça estampada!

Um dos elementos que inspirou Nicolas Ghesquière pra coleção de pré primavera-verão 2017 da Louis Vuitton, desfilada em maio deste ano no Rio, foi o parangolé. Além disso, dá pra reparar que roupas esvoaçantes que lembram as obras de Oiticica aparecem em várias coleções resort e nas Semanas de Moda Masculina. Quer ver? Clica na foto!

Tags:                                      

Compartilhar