Helô Rocha: das estampas girlie aos vestidos de luxo

Sándor Kiss/Divulgação
A gente amou a campanha de primavera-verão 2015/15 da Helô Rocha - vem ver mais! Próxima Ver mais fotos
A gente amou a campanha de primavera-verão 2015/15 da Helô Rocha - vem ver mais!

A Têca agora atende pelo nome de Helô Rocha, como a gente te contou aqui. Teve velório e tudo pra despedida, mas agora a transição está completa, com a loja repaginada e toda adaptada à nova fase da estilista de mesmo nome. A gente conversou com Helô pra saber o que a levou a esta mudança e o que o cliente que amava a marca pode esperar agora. Olha só:

Por que mudar?
Foi uma mudança natural e orgânica, porque com meu amadurecimento, meu estilo foi mudando e a marca também. A Têca tinha muita conexão com uma roupa mais girlie, mais de menina, com muita estamparia. Eu tive a necessidade de mostrar que meu estilo estava diferente até pro mercado internacional entender que a proposta era outra e não ficar pedindo outra coisa, a mudança era um caminho mais fácil. As pessoas não conectavam o que faço hoje com o nome e a imagem que a Têca sempre teve.

E qual é a proposta?
Um caminho mais alta-costura, menos prêt-à-porter estampadinho. Ainda tenho isso, mas não é mais meu carro-chefe. Tivemos que recomeçar e mostrar a nossa cara hoje, que é um produto muito mais exclusivo. Sempre tive a questão do trabalho manual nos bordados, mas não era tão pra noite.

Você chegou a apostar numa coleção de festa antes de fazer a mudança, logo depois do vestido de noiva da Preta Gil
Esta etiqueta foi quase como um teste, mas se tornou muito maior que a Têca. Sempre fiz esse tipo de coisa, mas muito mais pra mim. Teve o vestido da Juliana Paes no amfAR [veja aqui!], que deu o start deste movimento, aí o vestido da Preta e uma semana depois apresentei a coleção praticamente toda de alta-costura. Não dava pra manter duas marcas – a nossa demanda pra este tipo de trabalho aumentou consideravelmente. A maior parte do que faço hoje é sob medida – leva tempo, dá trabalho, custa caro…

Veja mais: o vestido de noiva de Preta Gil

E como você disse, o preço é outro pra um produto feito desta forma… Como está isso?
A gente sempre tinha um vestido ou outro mais especial, mas as pessoas não conseguiam entender que aquilo era um vestido de festa, elas achavam que era um daywear da Têca, e aí achavam caro. Era caro pra ser Têca, mas não é caro pra ser um vestido de festa. Eu já fazia os bordados, mas de forma mais casual. Aí fazia uma jaqueta inteira bordada em vez de colocar num vestido, por exemplo… Mas no Brasil, ou existe fast-fashion barato e rápido, ou o mercado de luxo, uma alta-costura, onde você pode investir mais dinheiro e existe um mercado pra isso. Este meio-termo de uma peça pro dia-a-dia que custa caro não faz mais sentido. Você chega na Zara e na Riachuelo e tem uma coisa similar que vai funcionar pra sair 3 vezes, e depois você já vai querer outra diferente. Agora se você vai casar, se formar, ser madrinha de um casamento, você não vai na Zara…

E um vestido sob medida Helô Rocha custa em média quanto?
Um média de R$ 7.000, mas o céu é o limite! Se a pessoa pede pra bordar um vestido inteiro isso tem um custo.

As ideias partem das coleções apresentadas na passarela…
Isso. A coleção serve pras pessoas saberem que tipo de trabalho a gente faz, a modelagem, e a partir dali montar uma parte de baixo com outra de cima, o bordado, pra assim chegar ao que a pessoa quer, mas com a cara da marca. Uma coisa que não vou fazer nunca é a pessoa chegar com uma foto de revista falando “quero esse vestido aqui”.

Na loja hoje você tem o quê?
Temos as peças da coleção, mas em pouca quantidade, pra servir como vitrine pras pessoas pedirem a partir dali. São 2 ou 3 saias, vestidos, uma peça de cada cor. E aí o cliente vai ver um vestido numa cor e pode encomendar em outra. De 10 a 15 dias ele fica pronto, dependendo do vestido.

Veja ainda: o look Helô Rocha de Juliana Paes no amfAR

O cliente da Têca vai encontrar estampas na Helô Rocha?
Nós separamos o daywear da noite com as etiquetas White pro prêt-à-porter, e Black pros looks de festa. Então ainda tem os devorês, estampas, camisetas… Isto existe como um complemento pro dia-a-dia e mantém seu preço. Continuamos com bastante acessórios, bolsas, sapatos, que são coisas que eu amo.

O que é a moda festa da Helô Rocha?
Acho que o que diferencia meu trabalho das outras pessoas que fazem festa é que a minha é mais boho, mais descontraída, não tem tanto brilho e tem bastante trabalho manual, Mas principalmente: tem que ter movimento. É uma roupa que não fica bonita no cabide e sim vestida, com o movimento de quem usa. Esta é a principal característica.

E o desfile no próximo SPFW? O que você pode adiantar?
Vai ser uma continuidade do trabalho que a gente já vem fazendo, mas vai ter um enfoque maior nisso. Não posso contar o tema, senão já vou revelar tudo!

Tags:                                  

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest Whatsapp

Escolhas da Lilian

Últimas