Grupo da H&M investe em… venda de roupas usadas!

09.04.2019

Bom, se até a H&M vai investir nisso, é porque a coisa vai crescer, viu? Na última sexta, 5/04, a diretora de sustentabilidade da marca Anna Gedda falou pra Reuters que vai lançar um programa piloto na Suécia, a terra natal da H&M, com vendas online de roupas de segunda mão no e-commerce da & Other Stories, queridinhas das modernas que faz parte do grupo. Pra isso, ela tem investido na start-up Sellpy, uma plataforma especializada em venda de roupas usadas. A ideia é expandir isso pra outras marcas do grupo H&M e outros mercados ao longo do tempo.

Roupas usadas à venda na japonesa Wego – você vai aderir?

Gedda estava em um evento sobre o futuro da moda em Berlim quando conversou com a Reuters. Ela ainda disse sobre o mercado de revenda: “Vemos isso como uma parte da indústria que cresce, com grandes oportunidades tanto pra clientes quanto pro impacto ambiental; e como uma maneira de reduzir drasticamente os danos pro meio ambiente extendendo a vida útil dos produtos.”

Veja também: Gigantes da moda se uniram pra combater a poluição com plástico

Espera-se que esse mercado dobre de tamanho nos próximos 5 anos pra US$ 51 bilhões de acordo com pesquisa da loja online de segunda mão ThredUp, especialmente puxado pelos produtos exclusivos e de edição limitada que esgotam e depois valorizam (tipo Supreme, Off-White e suas parcerias). Mas a própria H&M já tentou fazer algo parecido com esse novo projeto no passado e desistiu. Gedda afirma que o momento é outro, inclusive na preocupação em relação à sustentabilidade. O grupo tem tentado mudar a percepção das pessoas em relação à sua responsabilidade socioambiental usando mais algodão orgânico, encorajando a reciclagem das roupas e até oferecendo serviços de conserto de peças em alguns países. Ao mesmo tempo, se envolve em escândalos como os de queima de estoque parado.

H&M tinha US$ 4,3 bilhões em roupas não vendidas no ano passado – saiba mais

E é parte do grupo da H&M uma outra iniciativa, dessa vez relacionada a esses estoques gigantes: a Afound, sobre o qual já falamos por aqui. O outlet que também abriu primeiro na Suécia recentemente reúne coleções passadas de diversas marcas, incluindo as do grupo, com descontos. A diferença é que elas não são usadas! A Afound já conta com uma aba “vintage” no seu e-commerce que traz achados de grifes como Chanel, Dior e Gucci. Não se anime, eles não entregam pra outros países… ainda. Isso deve acontecer em breve!

Saiba mais sobre o outlet do grupo H&M

Enquanto isso, algumas marcas já tem feito essa seção “segunda mão” em seus pontos físicos. Urban Outfitters e a japonesa Wego são duas delas. Parece que o segredo é esse mix de novos e usados no mesmo local, e também o visual merchandising, que organiza as peças, mesmo usadas, por grade, cor, tipo de tecido e até estampa. Saiba mais sobre o mercado de revenda nesse vídeo que a gente fez no YouTube – clique aqui!

Tags:                      

Compartilhar