Free Free estuda o uso da roupa como potência de transformação

Divulgação

Uma primeira temporada de oficinas pelo Brasil em associação com o Núcleo de Gênero do Ministério Público (órgão estratégico no enfrentamento e prevenção à violência contra a mulher) encabeçada pela superstylist Yasmine Sterea deve começar em SP nessa sexta e sábado, 24 e 25/08 – mas se você logo pensa em capacitação ou profissionalização quando ouve a palavra oficina, pense outra vez. Yasmine tem estudado, ao longo do seu trabalho, a transformação que a roupa pode causar em uma pessoa, e quer se aprofundar nisso com esse projeto Free Free. Os primeiros dias vão trazer promotoras do estado de SP (na sexta) e mulheres que sofreram violência doméstica (no sábado), e essas últimas devem ser um caso à parte, já que o objetivo é fazer com que a vestimenta transforme as participantes e consiga mudar a narrativa de vulnerabilidade delas, com um nível de autoconhecimento, de reconexão com o “eu interior”.

A própria Yasmine explica melhor: “Pretendemos potencializar a possibilidade das participantes alcançarem e acessarem um novo personagem através da vestimenta, fora do contexto de vítima. As mulheres vão criar estes novos personagens, nomeá-los e vão usar o figurino como instrumento. O intuito é que elas ganhem força pra sair de uma situação de fragilidade e se enxerguem em uma nova situação. Vamos trabalhar a partir de técnicas como o psicodrama pra auxiliar em todo o processo, com o apoio do psicólogo Marco Andre Schwarzstein e intervenções com obras das artistas Caroline Ricca Lee e Melissa Stabile criadas exclusivamente pras oficinas”.

Você viu que o Queermuseum voltou? Clique aqui pra saber mais!

E esses primeiros estágios paulistanos são apenas o começo: as oficinas devem seguir pra Bahia, Paraná, Acre e culminar em Brasília em 16/09, quando a atividade vai ser aberta pro público mediante inscrição (no site freefre.art). Ah, e tudo vai ser filmado pois o projeto deve virar documentário focando nessa ressignificação da moda no ano que vem, em 2019! Legal, né? E você? Já pensou no poder transformador que a roupa e seus significados podem ter?

Tags:                    

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest Whatsapp

Escolhas da Lilian

Últimas