Categorias: Fashionteca

Techno Luxury 2009

07.12.2009

A Techno Luxury 2009, evento organizado pelo “International Herald Tribune” que estuda as relações entre tecnologia e luxo, aconteceu em novembro em Berlim, na Alemanha. O Blog LP recebeu informações de um infohunter especial que conferiu tudo por lá: Reynaldo Pasqua, o diretor de marketing da Carmim que cuida da Carmim Online Store: “Este evento foi muito importante como fonte para pesquisa e networking com líderes das grandes grife mundiais. Certamente ajudou pra que novas ideias fluíssem para serem implementadas na loja online da Carmim.” Confira o texto dele sobre as palestras:

Logo na abertura do evento, a editora de moda e estilo do IHT Suzy Menkes falou sobre como o poder da tecnologia já afeta a vida de todos os consumidores de alto luxo e luxo de massa no mundo. A tecnologia nos forçou a mudar a maneira como produzimos, pesquisamos e compramos os produtos. Com estas mudanças rápidas e dramáticas, até mesmo as mais famosas marcas de luxo mundiais se viram forçadas a adaptarem suas estratégias para este novo mundo tecnológico. Hoje, com o Facebook e Twitter, as empresas encontram uma forma de manter um relacionamento com seus atuais e potenciais consumidores, e mais do que isso, conhecer quem consume seus produtos.

Toda esta aproximação entre marcas e consumidores traz muitas perguntas pro futuro próximo. Como isso irá afetar a decisão de compra destas pessoas? Qual é a importância deste relacionamento tão pessoal com os clientes? Como isso afeta as vendas em shoppings e lojas de rua do mundo? Estas respostas estão surgindo simultaneamente, a todo instante. Os cases de destaque do evento:

Claus Dietrich Lahrs, CEO mundial da Hugo Boss

Mesmo com a crise, a Hugo Boss decidiu manter seus investimentos em marketing e mostrou alguns números bem expressivos, como a venda anual de 4 milhões de ternos por ano, a presença em 110 países e 5 marcas com entregas semanais de produtos em suas lojas. Seu faturamento ligado a atividades online é de € 50 milhões, com 190.000 fãs da marca no Facebook, fruto dos investimentos em tecnologia, lojas online, Twitter e conteúdo YouTube para iPhone e Blackberry.

Christopher Bailey, diretor geral de criação da Burberry

christopher-bailey-techno-l

Esta foi uma das melhores apresentações, muito tecnológica e com a visão de que o futuro é hoje! Segundo Bailey, a moda precisa inspirar as pessoas e a tecnologia é uma ferramenta sensacional para despertar este desejo. Com 6.000 funcionários em todo o mundo, as reuniões da Burberry são feitas através de Skype e videoconferências – e até mesmo a prova de algumas peças são feitas via Skype, com os modelos de prova em outras localidades! Com isso a empresa cortou 25% de seus gastos anuais com viagens corporativas e ganhou muita eficiência. A grife montou uma sede em Londres totalmente tecnológica, com sensores de luz por toda a parte, comunicação digital e um estúdio interno de TV, a TV Burberry, pra criar conteúdo digital para suas ações online. Resultado: seu Facebook possui 700.000 fãs da marca!

Natalie Massenet, fundadora e presidente do Net-a-porter.com

O primeiro e maior site de e-commerce de marcas de grife do mundo também investiu muito em conteúdo, inclusive em uma revista eletrônica pra promover as marcas que comercializa. Com excelente logística internacional, consegue mapear quais produtos e marcas mais vendidos em cada região, o que permite desenvolver ações regionais de promoção.

Frida Giannini, estilista e diretora de criação da Gucci

frida-giannini-techno-luxur

A Gucci também decidiu investir forte na mídia online – seu Facebook conta com 466.000 fãs e desenvolve conteúdos especiais pros consumidores conectados com a marca. Segundo pesquisa realizada por eles, jovens na faixa de 20 anos passam 47% do seu tempo na internet – e apenas 3% do dia é dedicado à leitura de revistas e jornais. Frida acredita que o futuro das grifes de luxo está no publico jovem, e se as marcas não começarem a se comunicar e acompanhar seu desenvolvimento tecnológico hoje, o prejuízo será irreversível.

Gucci começou sua loja virtual nos EUA em 2002 e hoje vende na Europa e China, com mais de 2 milhões de clientes online. A marca investe alto em eventos como lançamentos de lojas e eventos beneficentes com celebridades, e a internet é o meio pro seu público acompanhar essas ações e se sentir mais próximo da marca. Pros adeptos do Iphone, foram criados vídeos e músicas interativas pra download, guia de cidades e aplicativos – com o objetivo da marca ficar sempre presente na mente das pessoas. Este relacionamento funciona como uma propaganda 1 to 1 com seu consumidor.


O futuro do luxo não existirá sem a sedução virtual, cada vez com mais velocidade, qualidade e interatividade. Os novos consumidores do luxo são os jovens, potenciais consumidores de amanhã. O Brasil ainda está no começo desta realidade tecnológica tão intensa. Agora é a oportunidade das marcas inovadoras nacionais começarem a investir nesta realidade.

Reynaldo Pasqua, diretor de marketing da Carmim, infohunter do Blog LP direto de Berlim

Tags:                                          

Compartilhar