Diesel entra com pedido de falência nos EUA


Diesel culpa erros no investimento e prejuízo nas vendas como algumas causas do pedido de falência
Diesel culpa erros no investimento e prejuízo nas vendas como algumas causas do pedido de falência

Ela era – e ainda é – uma das marcas-fenômeno do jeanswear. Mas parece que os EUA não concordam com isso: o braço americano da italiana Diesel SpA, chamado Diesel USA, declarou falência causada por grandes perdas financeiras e erros de investimento. Também são citados como motivos no pedido furtos (!), faturas falsas (!!) e pontos de venda físicos (!!!) – no geral, varejistas têm reclamado sobre a evasão de clientes pra e-commerces como a Amazon. De 2008 a 2015, a empresa recebeu um investimento de US$ 90 milhões (cerca de R$ 345 milhões) e não obteve o retorno esperado.

Veja também: Adriana Barra fecha lojas de SP e do Rio

Atualmente a Diesel USA, especificamente, tem 380 funcionários e 28 lojas no país. Mas o pedido de falência inclui um plano de recuperação de 3 anos, pra que a marca preserve os empregos e volte a ser lucrativa. E surpresa: ao fim desses 3 anos, ele indica até a abertura de novas lojas! Eita… Isso é que é confiar no próprio plano, hein? Marcas americanas como Gap e Victoria’s Secret devem fechar pontos de venda justamente por causa do prejuízo delas nesse modelo de negócio.

Confira: Calvin Klein encerra sua linha de passarela e não vai ter mais desfile

E existe mais um motivo surpreendente listado por especialistas que explica o declínio da Diesel nos EUA: a ascensão do sportswear como roupa casual. Simplificando bem: as pessoas estariam trocando o jeans pelo moletom e o náilon! Porém, existe luz no fim do túnel: a moda do athleisure já está passando. A Diesel SpA e o grupo OTB não estão envolvidos nem são citados nesse pedido da Diesel USA.

Tags:          

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest Whatsapp

Escolhas da Lilian

Últimas