Crochê de metal, ráfia ou miçanga?

16.06.2015

Os colares das alagoanas custam em torno de R$ 600 e só são encontrados em multimarcas como Casa Moa, em Maceió
E logo depois nos deparamos com esta for pra pendurar no pescoço, também super na tendência
Uau! Foi o que a gente pensou quando viu este tramado de miçangas de Lena e Chris Acioli…
Os brincos prateados também vão bem nos looks 70’s, como estes da foto. Os preços podem variar de R$ 250 a R$ 600 dependendo da quantidade de crochê
A designer de acessórios começou só com os fios metalizados em peças que custam cerca de R$ 1.200
Pulseiras em crochê de ráfia e metal por Heliana Lages

A febre anos 70 pede roupas com texturas, dos patchworks e camurças aos macramês e crochês. Pra arrematar o look na tendência, sapatos com plataformas e acessórios poderosos.

E isso tem tudo a ver com o trabalho de duas marcas de bijuteria que você precisa conhecer. Ambas são experientes no mercado apesar de não entrarem em contato direto com o consumidor final, fornecendo pra outras empresas, com um esquema de venda em multimarcas pelo Brasil. E as duas são especializadas em crochê com metais e miçangas.

Veja mais: tutorial de top de crochê com Samira Carvalho

Heliana Lages é de BH e faz colares, brincos e pulseiras incríveis com fios de metal usando a técnica do crochê e acaba de incluir a ráfia no seu catálogo de matérias-primas que já conta com bolinhas banhadas a ouro entremeadas com os fios. Já Lena e Chris Acioli focam em tramados feitos com miçangas, num trabalho totalmente artesanal e muitas vezes misturado com couro. Elas são de Maceió e antes de responderem pela marca que leva seus nomes, forneciam pra outras etiquetas como Saad e Alexandre Herchcovitch.

Clica na foto pra abrir a galeria e conhecer os acessórios incríveis delas!

Heliana Lages: (31) 3223-1475
Lena e Chris Acioli – Hecho a Mano: lenachrisacioli@uol.com.br

Tags:                    

Compartilhar