A Chanel não vai ser vendida e sabe por quê? Porque ela é rica!!!

Divulgação
Chanel deve seguir independente!
Chanel deve seguir independente!

Na sua história de 108 anos, a Chanel nunca abriu seu balanço ao público, nunca disse o quanto de dinheiro que ela movimenta e, principalmente, o quanto ela vale. O que existia era especulação. Mas talvez pra afastar boatos de que ela poderia ser vendida nessa roda da fortuna de grandes conglomerados de moda como Kering e LVMH, ela decidiu fazê-lo pela primeira vez em 2018. E mostrou que tem tamanho o bastante pra ignorar qualquer oferta, já que… ela é do mesmo tamanho das maiores marcas dos conglomerados!

“Percebemos que era hora de colocar os fatos na mesa e mostrar exatamente quem somos: uma companhia de US$ 10 bilhões com as finanças muito seguras, mais todos os valores e munição ao nosso dispor pra continuarmos independentes,” explicou o CFO da Chanel Philippe Blondiaux em entrevista por telefone com o “New York Times”. 

Você sabe pronunciar o nome das marcas? A Lilian te ensina!

Então, só pra confirmar os números e mostrar que você não leu errado: são US$ 9,62 bilhões (cerca de R$ 36 bilhões) em vendas em 2017, um aumento de 11% em relação ao ano anterior. O investimento em atividades de apoio à marca (isso inclui os superdesfiles do Grand Palais, publicidade etc.) foi de US$ 1,46 bilhão (R$ 5,5 bilhões) nesse mesmo período.

Só pra comparar: as vendas da Gucci (do Kering) são de US$ 7,1 bilhões nesse mesmo período. E a Louis Vuitton (do LVMH) não abre seus números, mas analistas indicam uma faixa entre US$ 9 e US$ 11,5 bilhões. Ou seja – a Chanel é muito dona de si, mesmo! Blondiaux garante: “Não estamos à venda, e absolutamente nada vai mudar isso”. Pá!

Tags:            

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest Whatsapp

Escolhas da Lilian

Últimas