Caso Vittorio Missoni: o piloto não tinha brevê

Divulgação
Vittorio Missoni, ainda desaparecido
Vittorio Missoni, ainda desaparecido

Segundo o jornal “La Repubblica”, a agência de segurança de vôos italiana ANSV declarou que o piloto e a companhia responsável pelo vôo que saiu de Los Roques com Vittorio Missoni não tinham licença completa pra operar. O brevê do piloto Germán Marchan, de 72 anos, valia até 30/11/12 e não foi renovado. Apesar disso, no “La Stampa”, um dos colegas de Marchan garantiu que ele era um dos mais respeitados pilotos da região. A companhia, por sua vez, tem a sua parcela de responsabilidade porque ainda não tinha um certificado regular de operador de vôo. As últimas notícias também dão conta que o avião decolou de Los Roques às 11h32, deu sua posição sete minutos depois de 10 milhas náuticas da ilha a 5.000 pés do nível do mar e, baseado em dados, deve ter subido a 5.400 pés e se movendo, no total, 13,2 milhas náuticas antes de perder altitude e velocidade e sumir do radar. O mais esquisito: sabe aquelas mensagens de “Ligue agora, já estou disponível pra receber ligações”? O filho do amigo do Vittorio que estava no vôo recebeu isso do celular do pai, segundo o próprio! O mistério aumenta cada vez mais…

Tags:        

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest Whatsapp

Escolhas da Lilian

Últimas