As fotografias de Nan Goldin viram estampas da Supreme!

12.04.2018

Entretanto, a história da Supreme guarda uma polêmica. O famoso logo vermelho e branco da empresa lembra (e muito) a estética da artista Barbara Kruger… que é contemporânea de, adivinhe, Nan Goldin
E essa não é a 1ª vez que a Supreme une com artistas: Roy Lichtenstein, Damien Hirst, Andy Warhol e Basquiat são alguns criadores que tiveram seus trabalhos associados ao da marca de streetwear
A foto da estampa é de uma performer trans chamada Kim
E as peças já estão disponíveis nas lojas
A coleção de primavera-verão 2018 conta com moletons, camisetas, jaquetas e shapes de skate
Conhecida pelo estilo subversivo e pela estética crua, Goldin retratava o seu cotidiano e dos amigos (muitos deles gays e drag queens) principalmente nos anos 70 e 80
Supreme X Nan Goldin: a coleção – vem ver mais!

A lista de marcas que já colaboraram com a Supreme é extensa: Louis Vuitton, Nike, The North FaceThom Browne, Levi’s, Timberland são apenas alguns exemplos incríveis. Agora, a empresa americana lança uma colab artsy e transforma em estampas o trabalho da fotógrafa Nan Goldin!

Confira: documentários de fotografia – clica, clica!

Conhecida pelo estilo subversivo e pela estética crua, Goldin retratava o seu cotidiano e dos amigos (muitos deles gays e drag queens) principalmente nos anos 70 e 80. Sua obra discutia tabus sobre gênero e liberdade sexual na epidemia de Aids e auge da heroína. A coleção de primavera-verão 2018 conta com moletons, camisetas, jaquetas e shapes de skate que já estão disponíveis nas lojas, e essa não é a 1ª vez que a Supreme une com artistas: Roy Lichtenstein, Damien Hirst, Andy Warhol e Basquiat são alguns criadores que tiveram seus trabalhos associados ao da marca de streetwear. 

Veja também: Dolce & Gabbana com Supreme – será?

Entretanto, a história artsy da Supreme guarda uma polêmica. O famoso logo vermelho e branco da empresa lembra (e muito) a estética de outra artista, a Barbara Kruger – inspiração ou cópia, hein? “Uma bando de palhaços ridículos. Estou esperando que todos eles me processem por violação de direitos autorais,” disse Barbara sobre o caso pela 1ª vez em 2013. Na época, a empresa processou a estilista Leah McSweeney, dona da Married to the Mob, por uma linha de roupas que tinham a frase “Supreme Bitch” estampada com a mesma caixa vermelha com letras brancas. Mas quem é dono do quê? Barbara usa essa estética desde o fim dos anos 70… Na galeria você confere mais fotos – clica na imagem pra abrir!

Tags:                                              

Compartilhar