Peta em: nem a lã é inocente

17.08.2015

Stella McCartney usava lã de fornecedor que maltratava animais sem saber

O Peta tem voltado às manchetes de moda com tudo – depois do caso Birkin-Hermés, o novo capítulo investiga ranchos argentinos. Sabe a , que a gente achava bem mais inocente que o couro já que só era extraída da tosa e portanto não matava animais? A organização apontou que acontecem “mutilações rotineiras” de carneiros e cordeiros no processo de extração em dois ranchos específicos, e o maior babado é que eles fornecem lãs pras marcas Stella McCartney e Patagonia, ambas com um discurso supercomprometido com a causa animal.

Está sabendo do Prêmio Ecoera? Vem!

Resultado? Stella já suspendeu sua parceria com a Ovis 21, que se autodenominava fornecedora de “lã sustentável“. No Instagram, a estilista declara: “Ela nasceu como uma iniciativa incrível pra ajudar a proteger um milhão de acres de pradarias ameaçadas de extinção na Patagônia enquanto procurava pelo bem-estar dos animais. Infelizmente, depois de conduzir nossa própria investigação na Argentina após conferir uma angustiante filmagem feita pelos grandes caras do Peta, descobrimos que um dos 26 ranchos que usamos como fonte de lã sustentável maltrata suas ovelhas. Um já é muito”. Ela também conta que já está desenvolvendo uma “lã vegan” (ou seja, que não tem nada de animal em sua composição ou processo de manufatura) pra usar em suas criações da mesma forma em que conta com couro e pele sintéticos.

Tags:                    

Compartilhar