Categorias: E Mais... Prazeres

Lamen em SP: onde comer?

28.08.2015

Prepare-se pra fila: no dia 30/08, das 11h30 às 15h30, rola o 19º Festival de Lamen de Hokkaido em SP, na Associação Hokkaido de Cultura e Assistência (r. Joaquim Távora, 605, Vila Mariana)! A gente aqui na redação já está com água na boca. Mas, espera… você não sabe o que é lamen? Nem o que é Hokkaido? OK, OK, estamos aqui pra isso: a gente te explica tudo sobre a massa japonesa que promete esquentar o fim do seu inverno!

O que é?
Não, não é miojo: o que você compra no supermercado em saquinho é lamen frito. A fritura acontece justamente pra conservar o macarrão por mais tempo, já que ele está praticamente pronto (3 minutos, só pra amolecer…). Portanto o lamen, que você pode encontrar na grafia alternativa “ramen”, é um macarrão fresco de farinha de trigo, água, sal e kansui. O caldo varia de acordo com a região – o de Hokkaido, que fica no extremo norte japonês, é mais encorpado e leva missô (pasta de soja) mais milho, manteiga… Mas esse é de Sapporo, a capital da província – o de Hakodate já é diferente! No extremo sul, o de Okinawa, é com caldo de porco bem intenso. E alguns restaurantes fazem o caldo cozinhando carne por horas e horas – quanto mais, melhor! Outros ingredientes recorrentes são broto de bambu, cebolinha e massa de peixe (naruto).

Qual é o seu time?
Pra começar, se você nunca comeu lamen existem dois endereços pros quais você precisa ir: o Aska e o Lamen Kazu. Todo “lameníaco” tem o seu preferido, e geralmente faz bullying com quem gosta do outro. As casas, que são especializadas em lamen (e comumente chamadas de ramen-ya), têm suas semelhanças (as filas demoradas pra sentar) e diferenças (os preços, já que o Aska é mais barato, e o gosto do caldo em si, claro). Ou seja: a sua jornada começa com você entrando pro #teamAska ou pro #teamKazu e, a partir daí, indo pros outros locais já com esses dois parâmetros de comparação. Outra ramen-ya que “corre por fora” é a Delica Hatiko, em frente ao Aska, com opções de caldo de shoyu (estilo Kitakata, à moda de Fukushima) ou porco (estilo Hakata, à moda de Fukuoka) – também é uma delícia e costuma ser mais vazia que as outras duas. E tem o Mugui, que além de lamen serve outras massas japonesas e fica num predinho cheio de outros restaurantes na rua da Glória!

Confira também: os 9 motivos pelos quais ficamos viciados em Masterchef!

O preço?
Lamen é um prato barato no Japão, pra comer rapidinho, tipo o PF daqui. Em SP, gira em torno de R$ 20 a R$ 40: se for muito mais barato que isso, desconfie; se for muito mais caro, ou tem algum ingrediente que não é tradicional, ou estão te enganando!

Mas eu devo comer lamen em lugar que não é ramen-ya?
Lógico! Se você gostar, vai se viciar tanto que só vai querer pedir lamen em qualquer oportunidade! Mas saiba que a qualidade do caldo varia bastante em locais que não são especializados, justamente por causa de todo o cozimento sobre o qual a gente já falou – pra restaurantes que servem um monte de coisa fica difícil ter essa dedicação. De qualquer forma, essa comfort food japonesa é que nem pizza – mesmo quando é meio ruim, é boa! 😉 A gente incluiu lugares que não servem só lamen no roteiro no fim do texto mas que curtimos: Porque Sim (que vale especialmente se você estiver numa turma onde cada um quer comer uma coisa, porque tem bastante variedade e é um ambiente bem “família japonesa”), Sakagura A1 (que serve champon, o lamen de frutos do mar típico de Nagasaki), Ajissai (também serve champon), Yamaga (que é um restaurante que a gente adora e que serve um lamen de curry – kare lamen – bem gostoso), Minato Izakaya (um dos lamens mais bonitos que a gente já viu, com um sabor de porco cheio de nuances) e o Pub Kei (que serve um set com lamen com opção de missô ou shoyu no caldo mais saladinha, conserva, oniguiri e sobremesa).

Leia também: a rota dos queijos artesanais

Mas e esse udon que estão falando por aí, é igual lamen?
Bom, somos suspeitos porque amamos massa em geral, mas se você curtiu o lamen, o próximo passo é avançar pra outras delícias japonesas. Existe um lugar especializado em udon, um outro tipo de macarrão que é mais grosso e servido num caldo menos espesso na sua versão clássica, que a gente recomenda: o Meu Udon (r. Tomás Gonzaga, 84/90, 1º andar, Liberdade). Já o soba é o macarrão de trigo sarraceno que pode ser servido frio e, por isso, é uma ótima opção pra um dia quente. Ele é servido com um “copinho” com caldo que leva shoyu e outros ingredientes, mais cebolinha e wasabi à parte, pra você acrescentar a seu gosto no caldo. Aí você vai mergulhando porções do soba no copo ao comer! Tem um soba delicinha no Samurai (r. da Gloria, 608, Liberdade), que é restaurante embaixo e… karaokê em cima! Ui! Outro que serve soba frio é o Shigue (r. Sampaio Viana, 294, Paraíso). Pros mais aventureiros, tem uma versão de soba quente à Okinawa na Sobaria (r. Aurea, 343, Vila Mariana), que é um incrível… restaurante mato-grossense-do-sul. É que a região tem bastante imigrante okinawense!

Ajissai: av. Conselheiro Rodrigues Alves, 372, Vila Mariana, SP
(11) 5549-0627

Aska: r. Galvão Bueno, 466, Liberdade, SP
(11) 3277-9682

Delica Hatiko: r. Galvão Bueno, 467, Liberdade, SP
(11) 3207-6206

Lamen Kazu: r. Tomás Gonzaga, 51, Liberdade, SP
(11) 3277-4286

Minato Izakaya: r. dos Pinheiros, 1308, Pinheiros, SP
(11) 3814-8065

Mugui: r. Da Glória, 111, 1° andar, sala 11, Liberdade, SP
(11) 3106 8260

Pub Kei: av. Paulista, 854, Bela Vista, SP
(11) 3145-1741

Porque Sim: r. Tomás Gonzaga, 75, Liberdade, SP
(11) 3277-1557

Sakagura A1: r. Jerônimo da Veiga, 74, Itaim Bibi, SP
(11) 3078-3883

Yamaga: r. Tomás Gonzaga, 66, Liberdade, SP
(11) 3275-1790

Tags:                                                                      

Compartilhar