As lindas aquarelas de Carybé em exposição

09.12.2016

Minucioso, também incluiu o registro desses elementos importantes no vestuário dos orixás. Imperdível – passa lá na expô!
E olha essa obra, que bonita
Festas, incorporação, ritual de iniciação: Carybé pintou tudo
O artista não só fez obras lindas mas se preocupava com a exatidão e detalhes – por isso elas também podem ser consideradas registros históricos do candomblé na Bahia
Ornamentos de orixás – pra saber mais sobre a iconografia do candomblé, a exposição do Carybé é um prato cheio! Vem ver mais

Entra em cartaz em SP amanhã, 10/12, a exposiçãoAs Cores do Sagrado“, que reúne 50 obras do artista Carybé registrando principalmente as tradições do candomblé da Bahia com curadoria da filha dele, Solange Bernabó. São imagens produzidas entre 1950 e 1980 baseadas em sua vivência nos terreiros que frequentava, entre os mais tradicionais do religião afro-brasileira.

Veja também: Modernismo e concretismo encontram tribos africanas em expô

As imagens são belas, mas além disso elas podem ser consideradas registros históricos importantes: Carybé se preocupava em retratar as cerimônias (ritos de iniciação, festas, incorporação dos orixás e rituais fúnebres) com exatidão e riqueza de detalhes. Essas 50 obras, aliás, fazem parte das 128 incluídas no livroIconografia dos Deuses Africanos no Candomblé da Bahia“, de 1981, com introdução de Jorge Amado e textos de Pierre Verger e Waldeloir Rego – esgotado e, hoje em dia, item de colecionador. Ou seja, oportunidade única de ver esse trabalho bem de pertinho!

Carybé – As Cores do Sagrado
10/12/16 a 28/02/17, de terça a domingo das 9h às 19h
Caixa Cultural São Paulo: praça da Sé, 111, Centro, SP
(11) 3321-4400
Entrada franca

Tags:                      

Compartilhar