Dia de índio na fila A da Cantão

11.04.2014

Olha a peça em detalhe, com padronagem criada por Ayani
Foi ela que desenhou os guarda-chuvas dados como brinde no desfile…
A organização do evento pegou uma cadeira extra pra ela
Ayani, dos Huni Kuin, chega pra assistir a Cantão

Não é toda vez que encontramos índios direto do Acre na fila A de um desfile no Rio. Por isso, quando a organização viu Ayani, da etnia Huni Kuin, chegando pra assistir a apresentação da Cantão, tratou de arrumar uma cadeira extra pra ela não ficar de pé enquanto as modelos passavam.

Veja o desfile de primavera-verão 2014/15 da Cantão

Blog LP foi conversar, pra saber o que ela fazia ali, e descobriu que é dela a arte dos guarda-chuvas com os quais os convidados foram presenteados. Foram 100 peças, das 300 produzidas pela marca. As outras 200 serão distribuídas em seu povoado em maio. Mas de onde veio a ligação dos índios com a Cantão? A editora literária de Ana Dantes, ao conhecer os Huni Huin, tratou de apresentá-los pra equipe de empresa carioca. A ideia da colaboração veio do costume das índias de cruzar o rio Jordão com sombrinhas, que chamaram a atenção de Ana por serem todos do Paraguai, fugindo totalmente do contexto indígena. Por isso a viagem no mês que vem, que vai proteger a turma do sol de uma forma customizada, combinando com a estética de lá! Será que dessa pequena ação surge uma parceria maior?

Tags:            

Compartilhar