Vitorino Campos primavera-verão 2014/15

01.04.2014

Não era “Also Sprach Zarathustra” com arranjo de Eumir Deodato na trilha, mas da inspiração em buraco negro surgiu a ideia de tirar uma cartela de cores que começa em preto e depois “amanhece”, como no início de “2001: Uma Odisseia no Espaço“. Ou seja: Vitorino Campos entrou na onda futurista-espacial que já vem se firmando como uma das principais tendências da temporada de primavera-verão 2014/15 nacional – e a dele é das melhores. Do blecaute do começo aparece um brilho acetinado mais organza com fios de lurex fazendo uma textura tipo pelo metalizado e neoprene, um dos materiais do momento, com ilhoses. Surge uma luz no jacquard de cetim duchese com rabiscos brancos que formam losangos, e logo depois a gente vislumbra um bordado com paetês e pena de pavão, holográfico-furta-cor.

E aí tudo clareia, com transparências de fato começando a dominar a passarela e o look inteiro! Os painéis e estampas, degradês coloridérrimos com ar de arte abstrata, saíram do raio de luz registrado por um fenômeno quântico. E a organza tecnológica dá charme em sobreposições – quando tudo aparece demais, uma calcinha de lycra colorida tipo biquíni por baixo disfarça e pronto! No fim a coisa fica escura novamente em jacquard com manchas prata. E pra arrematar, aparece a top Emanuela de Paula fechando o desfile supermoderno, que tem várias peças conceituais mas também está recheado de boas ideias pra levar pra rua. Vitorino é um dos jovens talentos mais promissores do SPFW e vem, a cada desfile, demonstrando que faz juz ao título! (Jorge Wakabara)

Tags:                                

Compartilhar