Uma outono-inverno 2017 SPFW N43

13.03.2017

A Uma volta ao calendário do SPFW devidamente adaptada ao “see-now buy-now“. “A gente já fazia isso. Uma parte já está na loja, outra parte é see-now compra daqui a pouco…”, Raquel Davidowicz explica, pontuando que eles já fizeram o atacado dessa coleção, inclusive. Ao mesmo tempo, ela ressalta que o momento é de reflexão: “O mundo está um caos, o futuro é incerto”. O desfile reflete isso principalmente na montagem: ele ocupa o andar de cima da Pinacoteca e é feito em silêncio, só com o salto das botas das modelos batendo no chão. O ambiente do museu tem sido uma escolha recorrente de diversas marcas: À La Garçonne na temporada passada no Masp, Louis Vuitton no Louvre na última temporada internacional. É um ambiente de reflexão, no qual a gente aprecia obras e pensa sobre sociedade, passado, visões de mundo.

A silhueta é aquela preferida da Raquel, alongada, que vai do tricô e da pele fake ao tricoline de algodão e um belo tafetá tecnológico dando em looks “festa supermoderna”, minimal chic. São ótimos os vermelhos acesos (tendência total), as transparências com rasuras-3D, o acolchoado fino (e o com pele? Quentíssimo), as calças amplas e a padronagem no jacquard dos bodies em duas versões P&B, tipo tela de proteção arrebentada. Uma metáfora óbvia, mas às vezes é preciso dizer as coisas às claras. (Jorge Wakabara)

Tags:                                      

Compartilhar