Triya primavera-verão 2017/18

29.08.2017

“Quando o português chegou debaixo duma bruta chuva vestiu o índio. Que pena! Fosse uma manhã de sol, o índio tinha despido o português”. A frase de Oswald de Andrade abre o livro “O Biquíni Made in Brazil” e inspira e até estampa uma peça do desfile da Triya de primavera-verão 2017/18 que rolou no SPFW. Só que a estilista Bela Frugiuele pensou diferente: imaginou que os portugueses chegaram em um dia do sol… O resultado é corselet moda praia, espartilho moda praia – sabe? Tem até toile de jouy revisitada! A marca sempre faz desfiles com muita personalidade, que podem não fazer o gênero de todo mundo – não dá pra agradar a todos quando você não segue formatinhos pré-estabelecidos e a Triya sempre se desafia, tem ideias extravagantes e bem-humoradas. Outros destaques: os motivos indígenas, o reuso do jeans (parceria com a Damn Project) e menção superespecial pro bordado de linha cheio e meio solto, o que lhe garante movimento e vida. E a gente adora uma coisa viva e autêntica! (Jorge Wakabara)

Tags:                            

Compartilhar