Reserva primavera-verão 2017/18

01.09.2017

A Reserva se inspirou em “Onde Está Wally?” – lembra do livro?? – pra essa primavera-verão 2017/18. Ou seja, o look Wally tradicional (listras em vermelho e branco, óculos em parceria com a Livo, gorro que aqui é substituído pelo chapéu pescador e mochilão) vai se desdobrando e, como o estilista Igor de Barros explicou, o personagem acaba se perdendo… no Rio! Aí entram as folhagens na estamparia! A ideia de Igor pro cliente da Reserva, aliás, é bem interessante: como ele é um tanto quanto resistente a muito arrojo, a marca faz com que sua cabeça abra aos poucos introduzindo materiais diferentes, com toques diversos. Uma ideia bacana, por exemplo, é o patchwork de tecidos do estoque – além deles terem essa chance de voltar pras araras, a linguagem nova com um banho de índigo, que os deixou mais uniformes, faz ótima figura no look.

Agora é preciso também pensar na apresentação da Reserva, que como tantas outras nessa temporada decidiu inovar no formato, e também funciona como uma sequência da anterior da marca, tipo happening-festa (as fotos, não estranhe, foram feitas em ambiente bem mais controlado). A intenção é bem bacana, mas é preciso pensar um pouco mais, então, em qual é o papel desse evento. Democratizar o alcance do lançamento abrindo a sala sem lugares marcados, tudo em pé mesmo, é ótimo; mas se a imprensa especializada é importante, então por que não deixá-la ver primeiro, com calma e sem muvuca, os looks de perto? Fica difícil olhar tudo e encontrar Wally se tem gente (muita gente!) fazendo selfie bem no seu caminho. O toque também serve pras outras apresentações que saíram da curva no SPFW dessa vez: é ótimo pensar fora da caixa, mas é melhor ainda quando esses detalhes de direção tipo timing, visualização das peças e conforto dos convidados são levados em consideração. (Jorge Wakabara)

Tags:                          

Compartilhar