O didatismo da alta-costura na Dior

03.07.2018

Quando você busca a simplicidade, esse pode ser um caminho árduo. Maria Grazia Chiuri aceitou o desafio de tirar todo o supérfluo (leia-se o tema exótico, os enfeites chamativos, o glamour do brilho e do penduricalho excessivo) e simplesmente homenagear a alta-costura em si nesse outono-inverno 2018/19 da Dior, desde o cenário com modelagens dos looks que desfilariam em seguida até a escolha de cores mais neutras (como por exemplo muitos tons de pele) pra focar no uso de materiais ricos (duchese, crepe, dublados) e técnicas tradicionais (macramê, bordado de contas e fitas). É como uma aula, uma tentativa de conquistar uma nova geração que talvez ainda não entenda o que exatamente é couture e por isso não a valorize. Mas o excesso de didatismo nessa tentativa pode ter um efeito contrário – os tempos mudaram e essa nova clientela a ser conquistada tem outros valores, outras referências estéticas e outro ritmo. Será mesmo esse o caminho certo? Veja mais na galeria.

Tags:                    

Compartilhar