No colo da Prada

21.09.2018

Miuccia Prada, tal qual uma pitonisa, solta frases em relação aos seus desfiles. Mais do que explicar, ela parece, a toda temporada, querer provocar, abrir pra interpretações, mostrar suas apresentações como uma obra aberta. As frases da vez pra essa primavera-verão 2019? “Esforço-me pra ver que o mundo está se tornando conservador. E estou com muito medo”. As outras são: “O que me preocupa é a simplificação. Porque a política se baseia em slogans – ou nem isso, em uma hashtag. Se você tira o conteúdo e simplifica, num certo momento você não pode dizer mais nada”.

Contra simplificação: complexidade. Contra conservadorismo: desbunde? Doideiras? Não, Miuccia é mais sedutora que isso: o caminho mais complexo e mais interessante é atrair o conservador pra uma armadilha. Ou dar pro não-conservador caminhos disfarçados, camuflados, pra continuar exercendo sua liberdade. O primeiro look é uma blusa fechada e preta com uma bermuda marrom. O sapato-meia vazado é pink – e logo as cores mais provocantes começam a entrar. Um híbrido de mostarda e amarelo fluo; um vermelho profundíssimo no casaco de abotoamento duplo; e então a coisa começa a esquentar com um decote redondo e megaprofundo preso com uma faixa à prova de acidentes, que deixa o colo bem exposto. Mostra muito e não mostra tanto.

Esse decote se repete em menor e maior altura, e depois a exposição do colo ganha outra versão, com vão oval no meio do suéter e da camisa. E tem mais sensualidade na forma de uma transparência despudorada. A estampa tie-dye, tão ligada ao movimento hippie, vai pra comportadas saias rodadas e bermudas. A simples camiseta branca com logo no peito vira um statement. Lacinhos se espalham de aparência inocente. A meia 3/4 também é transparente; a tiara é inflada e lembra um chapéu. Tem até alça de bolsa também com efeito acolchoado: referência à mais proteção, maior necessidade de conforto? Cada um que veja à sua maneira. Confira mais na galeria.

Tags:                              

Compartilhar