Lilly Sarti: círculos, ciclos, voltas

24.04.2019

Lilly Sarti está grávida: ostenta uma senhora barriga enquanto acompanha o ensaio geral com as modelos, antes do desfile começar. A passarela traz dois círculos na boca de cena que são iluminados – a ideia veio de um par de brincos. No fundo, é tudo roupa na coleção de primavera-verão 2019/20 apresentada no SPFW, e roupas bonitas, peças leves, jacquard de organza, tela de algodão, linho. Mas no fundo mesmo é mais que isso: nessas coincidências estranhas que a vida nos dá, Lilly reparou só depois da coleção estar quase pronta que existia bola em tudo. Na renda, nas bolinhas de madeira em detalhes da roupa e sapato, no poá da seda pura com lurex… 

A estilista quis fazer um mix étnico na criação, trazendo o que havia em comum nas mais diversas culturas. O círculo é uma imagem poderosa, com um simbolismo fortíssimo de unidade, coletivo, perenidade. Coincidência, será? É simbólico também que a marca volte a fazer dos trabalhos manuais em macramê e crochê um de seus pontos fortes: eles eram elementos importantes do primeiro desfile que apresentaram no evento, mas se antes tinham uma pegada sexy, agora são mais tranquilos, sensuais à sua maneira, sensíveis ao toque, dão movimento e clima.

A top Carol Ribeiro fechando o casting de vestido curto é um statement, com Lilly mostrando que não existem mais ideias pré-concebidas sobre o que cai bem em uma mulher mais velha. Idade é só um número. O que importa é o estado de espírito. (Jorge Wakabara)

Tags:                                              

Compartilhar