Gloria Coelho outono-inverno 2016

22.10.2015

Game of Thrones” é legal, mas o Castelo Negro é muito mais, nas palavras de Gloria Coelho. E aquele frio quase polar da Muralha tem tudo a ver com os nórdicos que batizam esta coleção: “Aquele pessoal meio louquinho, com vento batendo forte na cabeça”, explica a estilista. Loucos, mas com um armário ótimo, deve-se dizer.

Eles vão pra festa de vestidos longos de couro de decotes assimétricos e com as mangas bem compridas, pula um ombro ou outro de fora e vai dando mais frio. Aí entram jaquetas de couro com recortes de tweed, malhas metalizadas de gola alta, muito couro cruzando o corpo, subindo dos cintos até o pescoço, como no vestido-casaco de veludo cotelê. As tiras de couro amarram as saias, que lembram bem de longe um kilt, trocando os plissados por fendas, e se misturam com as cobras fake em diversas cores.

A alfaiataria brilha em macacões utilitários que são os novos terninhos e logo vem a sequência incrível de mantôs. Eles são a aposta dela: “Todo mundo só quer saber de vestido de festa, mas as pessoas que precisarem de mantôs vão encontrar aqui”, diz Gloria. É só bater o olho pra ficar com vontade: do off white com os maxipaetês feitos de cetim bordados em tule – uma assinatura dela – aos mais amplos, com vison fantasia, passando pelo bege-leão, de lã, que leva uma camada de tule bordado de linha metálica e paetês de glitter em ton sur son. E realmente dá pra imaginar Jon Snow usando um deles, com modelagem meio parka, coberto de pelo de carneiro. A mesma Gloria de sempre, mas com um fôlego novo, num desfile ótimo. (Aurea Calcavecchia)

Tags:                            

Compartilhar