Categorias: Desfiles

Fernando Cozendey primavera-verão 2015/16

24.04.2015

Depois do renascimento da Fênix, Fernando Cozendey segue explorando as transformações nesta primavera-verão 2015/16. É o próprio estilista que abre o desfile com um poncho onde se lê “Inferno aqui”, cobrindo o macacão cheio de traçados simulando marcações pra cirurgias plásticas, com uma seta que destaca as cirurgias transgênero. Este é um assunto muito próximo de Fernando e pra agregar ainda mais as diferenças que o inspiram, ele convidou o coletivo Drag-se, do Rio, que prepara um documentário sobre a vida de drag queens, drag kings e drags queer dentro e fora dos palcos.

A lycra é a matéria-prima da marca e é nela – toda coberta com película vinílica – que ele cria sua crítica social. E desenha uma mão com uma seringa de hormônio com recortes e vivos, rostos com os contrastes de nude e preto e olhos com cílios enormes que saltam da roupa em 3-D. O pied-de-poule aparece na sequência que ele chama de “Casulos”, num momento quase alfaiataria, com golas que são multiplicadas em escala e quantidade e criam pontas nos looks. Daí vem as borboletas-monarca, trazendo com elas o laranja bem vivo, o ponto de cor de uma coleção feita de nudes, pretos e brancos, em bodies e macacões com mangas enormes e o humor pop e literal que chama atenção em seu trabalho. (Aurea Calcavecchia)

Tags:                        

Compartilhar