Cavalera primavera-verão 2016/17

10.08.2016

De onde saiu a ideia de Alberto Hiar de mexer com o universo sertanejo na coleção de primavera-verão 2016/17 da Cavalera? “Foi um filme que assisti no avião, nem lembro o nome, mas que contava a história de amor de um caubói com uma garota de NY e eles acabam se apaixonando”, ele conta no backstage, antes da apresentação começar – e deve estar se referindo ao “Uma Longa Jornada“. Mas isso foi só a fagulha: ele percebeu que o caubói do filme parecia um surfista californiano! A partir daí, a marca decidiu fazer uma megashow e convidou vários artistas do universo country brasileiro, de Thaeme e Thiago a Milionário e Marciano, pra desfilar no palco e cantar a trilha ao vivo! Mas então a Cava virou marca sertaneja? Longe disso: “A gente gosta de fazer esses absurdos”, Alberto explica, lembrando de outras provocações inusitadas que fazem parte de sua história, “não é porque fizemos um desfile de punk islâmico que viramos uma marca de punk islâmico, por exemplo”.

Mas então, e quanto a roupa? A estética do sertanejo hoje é muito próxima do roqueiro. E talvez sempre tenha sido: “Você olha pro Milionário e ele parece o Marky Ramone!” A verdade é que o estilo que alcançou o topo das paradas é o que incluiu guitarra elétrica e superproduções à U2 e Rolling Stones, desde os anos 90. Quem não lembra do skinny jeans de Zezé di Camargo, ou dos jeans rasgados de Lucas Lucco? David Pollak, o estilista da Cavalera, conta que misturou Elvis Presley e Johnny Cash (dá-lhe rock com country!) mais estética saloon e elementos caipiras, como os bordados fofos de linha com galinha. A gente também destaca o moletom com “Pense em mim” estampado em letras góticas e a partitura da música nas costas, os momentos levinhos com babados e o fim, com bons vestidos pretos e listras de lurex mais botões forrados formando detalhes que fazem toda a diferença. Esse sertanejo está fino, viu? (Jorge Wakabara)

Tags:                                

Compartilhar