Categorias: Desfiles Paris

Balenciaga primavera-verão 2016

03.10.2015

Uau! A última coleção de Alexander Wang pra Balenciaga é a melhor dele desde sua estreia, há quase 3 anos. Ele parece ter deixado de lado todo o peso da história da etiqueta pra fazer algo novo, ainda assim diferente de seu trabalho em sua marca homônima. É um adeus bonito, leve, mas também abusado, do tipo “era isso que eu ainda poderia fazer”. Porque a gente, inevitavelmente, imagina o que poderia vir depois desta sequência de 35 looks brancos, cheios de texturas e de um romantismo sexy e cool. Ele mesmo disse, no backstage, que sabendo que era sua última coleção, resolveu arriscar. Mas só agora?

Não dá pra saber se o medo de experimentar vinha dele ou da empresa… O fato é que, além de uma cor toda pra um desfile inteiro ter uma força por si só, cada vestido-camisola que cruzou a passarela trouxe uma curiosidade que há tempos não se via na passarela da Balenciaga. As modelos entram de chinelinhos rendados, daqueles pra ficar em casa, sempre com tops muito próximos de lingeries, de onde vem os desdobramentos de modelagem que se escancaram nos recortes. Os conjuntinhos tipo pijama, com listras, calças amplas e barrigas de fora – e também os macacões – trazem as pochetes penduradas, num todo que tem muito a ver com o trabalho de Wang.

Tem cetim, algodão, linho, renda e um acabamento enfiapado ótimo, que combina com as franjas das bolsas. As blusinhas de babados parecem saídas de um baú antigo e recortadas, recosturadas. Sobreposições de transparências destacam ainda mais as muitas texturas de um trabalho bem artesanal. Ótima despedida, que você vê clicando na foto aqui do lado pra abrir a galeria!

Tags:                              

Compartilhar