Aquele babado na Givenchy

25.05.2018

A Givenchy está em alta – após vestir Meghan Markle no casamento dela com o príncipe Harry, Clare Waight Keller passa pelo mesmo hype de Sarah Burton criando pra Alexander McQueen em 2011, quando Kate Middleton casou com príncipe William usando um look dela. No caso de Sarah, ela também teve ajuda de uma certa exposição… no Met de NY, que impulsionou ainda mais a marca McQueen ao homenagear seu fundador alguns dias depois do casório. Pra Clare, é outro o acontecimento que faz a Givenchy não sair do noticiário: a morte de Hubert, o fundador, em março desse ano. No caso de Sarah, o fundador e ex-chefe tinha morrido um ano antes. Ou seja, até o fantasma no armário elas têm em comum: Sarah com o talento grandioso e eloquente de McQueen à espreita, e Clare com Riccardo Tisci, seu antecessor, sucesso na Givenchy por 12 anos. 

Riccardo está na Burberry, prestes a mostrar sua nova coleção; a primeira apresentação de alta-costura de Clare pra Givenchy rolou nesse ano e foi elogiada pela crítica. Tudo pra decolar, portanto! Essa pré primavera-verão 2019 vem em boa hora, estabelecendo ainda mais a ideia da estilista inglesa pra casa francesa: um resgate da visão de Hubert no sentido do neoclássico, das linhas limpas e modernas, da preferência pelo minimalismo, da atração pela geometria e carinho pela experimentação na modelagem. O oversize não domina mas marca presença; a estamparia serve mais como complemento do que como foco; elementos importantes da tendência atual como a alfaiataria da firma, o babado e o pelo fake ganham suas versões. Mas nada se destaca mais que aquela sensação de que a Givenchy é muito chic, uma das coisas mais chiquerrérrimas que você vai ver na temporada. Objetivo atingido. Veja mais na galeria.

Tags:                    

Compartilhar