5 motivos pra apoiar marcas cruelty free

Divulgação/Montagem Site Lilian Pacce
Quer exemplos de marcas que não testam em animais? A Lush é uma delas e relança nesse mês o xampu sólido New, com óleo essencial de canela, baía e cravo-de-dente (R$ 52,10)Próxima Ver mais fotos
Quer exemplos de marcas que não testam em animais? A Lush é uma delas e relança nesse mês o xampu sólido New, com óleo essencial de canela, baía e cravo-de-dente (R$ 52,10)

Se você é do time que ainda precisa de motivos pra apoiar marcas de beleza livres de crueldade animal, precisa ler esse post até o final! A indústria dos cosméticos nem sempre foi gentil com os animais – ainda há muitas empresas que usam camundongos, coelhos e outros bichinhos em procedimentos de efeitos irreversíveis nos seus testes. O chamado Draize é um dos mais comuns, criado nos anos 40 – ele provoca a irritação nos olhos e pele dos coelhos pra medir os danos que podem ser causados em humanos. Depois disso, os bichos são mortos e tem seus órgãos analisados pra medição dos efeitos – e seria inocência de nossa parte achar que eles não sofrem durante esses procedimentos, normalmente realizados sem anestesia.

Um sapato vegan feito de persiana!

É importante dizer que em alguns países do mundo os testes já são proibidos, incluindo alguns estados do Brasil –  portanto, as técnicas evoluíram e muitas marcas da área da beleza criam produtos cruelty-free e veganos (ou seja, que não utilizam material de origem animal na sua fórmula e também não promovem testes em animais). Algumas delas sempre são destaque aqui no site: Lush, The Body Shop, Face It, Feito Brasil, Alva, Lola Cosmetics e muitas outras (veja aqui e aqui). Não faltam opções, né? E pra distribuir ainda mais informação, a gente lista 5 motivos pra você apoiar marcas cruelty free com base em relatório da “Humane Society International”:

Evoluímos em vários aspectos da tecnologia
Só que, mesmo com os recursos de hoje, ainda existem técnicas do século passado (dos anos 20, 40 e 60!) na indústria de cosméticos. Há testes cruelty free com resultado de maior precisão se comparados aos tradicionais realizados em animais, como o de corrosão cutânea feito em pele reconstituída em laboratório. E as pesquisas já realizadas devem ser aproveitadas – e não repetidas, né?

O mercado de testes in vitro é promissor!
Já existe a possibilidade de retornar células pro seu estado inicial e a partir delas criar órgãos e tecidos artificialmente. A “U.S National Academy of Sciences” prevê que em um futuro breve os testes de toxicidade sejam realizados em células humanas ou linhas de células – em 2016, o mercado de testes in vitro atingiu cerca de US$ 14 bilhões, e estima-se que em 2021 chegue a US$ 27 bilhões. Ou seja: além de evitar a crueldade com animais, os testes in vitro movimentam a economia.

Muitas marcas cruelty free promovem relação mais próxima com o consumidor
Na Lush, por exemplo, você sabe até quem fez o produto que você adquiriu – há um adesivo colado na embalagem indicando o nome da pessoa. Isso mostra que existe conhecimento e controle sobre a cadeia de produção, evitando relações anti-éticas. Além disso, as marcas menores tem uma relação mais próxima com o consumidor: você pode dar sugestões de produto, saber os métodos de produção, os ingredientes utilizados e se informar sempre que surge uma dúvida – eles estão lá pra te ouvir! E a maioria opta por ingredientes orgânicos. Pra quem se preocupa com o bolso: o preço, que poderia ser uma barreira, às vezes não difere muito das que testam em animais, viu?

Os testes não podem prever reações humanas reais
Claro, o organismo de um animal é diferente do organismo de um humano – assim como organismos variam de animal pra animal! Quem já não teve aquela alergia a algum produto, mesmo que ele tenha passado por um supostamente rigoroso controle de toxicidade? Os animais não adquirem muitas doenças que nós adquirimos. Assim como alguns alimentos são comestíveis pra gente mas podem ser fatais pra bichos – pense nisso!

A crueldade tem uma proporção maior do que imaginamos!
Segundo a “Cruelty Free International”, cerca de 115 milhões de animais são usados em todo tipo de teste todos os anos. E cerca de 500 mil são direcionados pra indústria de cosméticos. O número de produtos lançados no mercado, por ano, é desproporcional ao número de testes, fora os testes que já aconteceram e não precisam ser repetidos. 

Conheça o Insta de receitas veganas de uma estilista brasileira!

E aí, convencida(o)? Além de consumir produtos cruelty free, você pode ajudar assinando uma petição online contra o teste em animais na indústria cosmética aqui e aqui!

Alva
Arte dos Aromas: (11) 4043-1820
Bioart
Biovegan: (47) 3422-9093
Face It: contato@faceitnatural.com
Herbia: (47) 3427-6966
Lush: 0800 770 5874
Multi Vegetal: (19)  3289 6369
The Body Shop: sac@thebodyshop.com.br

Tags:                                

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest Whatsapp

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas